in

Bolsonaro: proposta de seu programa suprimirá direitos dos trabalhadores

Foi apresentado por Jair Messias Bolsonaro, candidato à presidência pelo partido político PSL, nesta terça-feira (14), o plano de governo que ele pretende realizar.  Em um dos tópicos de seu projeto previsto para o mandato de poder, Bolsonaro propõe que seja criado um novo regime do trabalho que funcionaria em sentido paralelo ao regime da CLT atual.

Publicidade

Nesse novo ordenamento jurídico alternativo ao regime vigente, os jovens trabalhadores optariam exclusivamente pela adesão de uma nova carteira de trabalho que seria na cor verde e amarela, representando as cores da bandeira e enaltecendo o patriotismo.

Segundo um trecho do programa de governo do presidenciável, será criada uma nova carteira de trabalho, voluntária, nas cores verde e amarela que seria destinada aos novos trabalhadores. Assim, todos os calouros ingressantes no mercado de trabalho teriam a chance de escolher entre o vincula empregatício tradicional que se confirmaria com a cor azul, já vigente.

Publicidade

Os jovens que preferirem o novo ordenamento receberiam a carteira verde e amarela onde a CLT não prevaleceria e o contrato individual se sobrepujaria, apenas os direitos constitucionais seriam mantidos.

Publicidade

Um dos principais tópicos defendidos por Bolsonaro é o de relativizar ou até mesmo suprimir alguns direitos trabalhistas conquistados pelo povo para que o desemprego seja combatido no país. Em uma de suas declarações a imprensa, o presidenciável chegou a dizer que: “ter emprego e menos direitos ou não ter emprego”.

Publicidade

Caminho da prosperidade, nome que recebeu o programa de governo de Jair Bolsonaro já foi protocolado pelo partido político do PSL no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), junto com o protocolamento do programa, também foram registradas a candidatura de Bolsonaro a presidente e de General Hamilton Mourão que é general da reserva a seu Vice-presidente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade