in

‘Harry Potter’ está morto e enterrado; saiba onde ele foi sepultado

Talvez você não tenha lido a saga do bruxo mais amado do universo, mas mesmo sendo um 'trouxa' (maneira que são chamados os não bruxos nos livros), certamente já ouviu falar de Harry Potter, o órfão criado no subúrbio de Londres e que nasceu predestinado a liquidar com aquele que não se pode dizer o nome (Lord Voldemort).

Publicidade

O garoto que se descobriu bruxo aos 11 anos de idade, ganhou milhões e milhões de fãs em todo o mundo que se renderam as aventuras do bruxo que foi matriculado na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde ao lado de seus amigos Ronald Weasley e Hermione Granger, e também do diretor de Hogwarts Alvo Dumbledore, vivenciou várias perigos e se preparou para grande batalha com o lorde das trevas.

A autora britânica J. K. Rowling foi a responsável pela saga do bruxinho que se tornou um bravo e corajoso adolescente durante os sete livros que ela escreveu. O livro se tornou o segundo mais vendido da história, ficando atrás apenas da Bíblia. Ele já foi traduzido para mais de 400 línguas, possibilitando que pessoas de todo o planeta conhecessem a história de Harry. No geral, a série já vendeu mais de 650 milhões de livros. 

Publicidade

'Harry Potter' está morto e enterrado; saiba onde ele foi sepultado

De acordo com o portal de notícias online, Mega Curioso, Harry Potter está morto e enterrado, ele existiu, era de carne e osso e britânico, porém está sepultado em um cemitério de Israel. Desde que o tumulo foi descoberto, o local se tornou um ponto turístico e vem recebendo pessoas de todo o mundo que fazem questão de visitá-lo; saiba mais.

Publicidade

O cemitério, onde o xará do bruxo foi sepultado, está localizado na cidade de Ramla, e abriga os túmulos de soldados britânicos que caíram durante os conflitos, resultantes das revoltas anticolonialistas que ocorreram na Palestina no final dos anos de 1930. Harry, o soldado, foi enviado para a área de conflito ainda muito jovem, depois de mentir sobre a sua idade, acredita-se que ele chegou no local da guerra em 1936, com cerca de 16 anos e faleceu já no final da revolta em julho de 1939, no Hebron. Provavelmente ele faleceu antes de completar 20 anos de idade.   

Publicidade
 

A post shared by Jael (@appelsiinejahunajaa) on

Embora este conflito não tenha ganhado muita notoriedade na história das guerras, estima-se que mais de cinco mil pessoas tenham perdido a vida, naquelas batalhas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade