in

Polícia investiga caso de bebê que morreu após ser perfurado mais de 30 vezes em uma UPA

A morte suspeita de um bebê causou muita comoção e revolta à população da pequena cidade de Breves no Marajó, localizada no estado do Pará. A criança foi levada para UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da região na segunda-feira (23), por volta das 19h30, ela apresentava um quadro de vômito e febre, a garotinha foi atendida às 22h.

Publicidade

De acordo com o portal de notícias online, G1, a menina morreu na madrugada desta terça-feira (24). O que levou o bebê a óbito ainda não foi esclarecido, mas um detalhe macabro chamou a atenção da família que acionou a Polícia Civil. Só em um dos braços da criança haviam mais de 30 furos feitos com agulha por uma enfermeira enquanto ela esteve na UPA.

Bebê teve o corpo perfurado dezenas de vezes

Segundo a Polícia Civil, a responsável por tantas marcas de perfurações no corpo da criança foi a técnica em enfermagem que estava de plantão na UPA na noite que a menina a foi atendida. A bebê foi perfurada em diversas tentativas da profissional de saúde para encontrar uma veia e ministrar medicamentos intravenosos.

Publicidade

Gustavo Ceccagno, que é o delegado responsável pelo caso, afirmou que mandou fazer uma necropsia no corpo do bebê. Porém, por falta de condições ideais de logística, isso não foi feito. Gustavo afirma que um médico da região fez um exame preliminar no corpo do bebê na cidade de Breves. O corpo da menina foi enterrado sob forte comoção.

Publicidade

O delegado ainda informou que, provavelmente, irá solicitar ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves a exumação do corpo para realização de necropsia. Não há informações sobre o destino da enfermeira e se ela continua atendendo na UPA da região. O G1 tentou entrar em contato com a Prefeitura de Breves, mas ainda não recebeu resposta.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade