in

Garoto de 10 anos, que foi morto pela mãe ao dizer que era ‘gay’, foi enterrado sob forte comoção

Um crime cercado de requintes de crueldade contra uma criança de apenas 10 anos, ganhou as manchetes dos principais jornais do mundo. O garoto que já vinha sofrendo maus tratos da mãe e do padrasto, faleceu depois de ser covardemente agredido e o motivo de tanta violência foi o fato do menino ter dito para a mulher que gostava de meninos; saiba mais.

Publicidade

De acordo com o portal de notícias online, Catraca Livre, o menino identificado como Anthony Avalos, foi socorrido por uma equipe de policiais que receberam uma chamada no último dia 20 de junho. Ao chegarem na residência do garoto, o encontraram desacordado e com marcas de agressão pelo corpo. Ele foi encaminhado para um hospital da região onde deu entrada em estado gravíssimo, porém, infelizmente, o garoto faleceu um dia depois de ser internado. O caso aconteceu em Lancaster, ao norte de Los Angeles.

Requintes de crueldade

A mãe do menino, Heather Barron, 28, e seu namorado, Kareem Leiva, 32 anos, o torturaram por pelo menos cinco dias. Avalos foi cruelmente agredido e o passado do menino ainda escondia casos de abusos sexuais entre outras passagens nefastas. A tia do garoto, Maria Barron, afirmou que já havia informado às autoridades sobre os maus tratos sofridos pelo garoto e seus irmãos.

Publicidade

Centenas de pessoas compareceram ao velório do garotinho que era amado por todos que o conheciam. Mesmo diante de tanto sofrimento, ele mantinha um sorriso no rosto. De acordo com seu tio, David Barron, ele defendia seus irmãos dos maus tratos, entrava na frente deles quando a mãe tentava agredí-los e, na escola, defendia os amigos dos valentões.

Publicidade

O caso gerou tamanha comoção, que o funeral e o sepultamento de Anthony foi realizado no Saint Junipero Serra Parish, no Quartz Hill, com todas as pompas e circunstâncias que um pequeno herói merecia. As pessoas levaram lembrancinhas e brinquedos para Anthony.

Publicidade

Dentro do caixão azul bebê, mesmo maquiado, o rosto do menino que sempre foi sorridente mostrava as marcas da tortura. No funeral de Anthony, mais de 150 pessoas, incluindo familiares, amigos e professores, encheram os bancos com camisetas do Batman e capas e camisas do Super-Homem, como solicitado pela família de Anthony, porque o menino amava os super-heróis. Anthony foi enterrado na última sexta-feira (20).

Publicidade