in

Preso ‘coiote’ que enviava ilegalmente crianças do Brasil para os EUA; elas eram separadas de seus pais

Em uma operação certeira da Polícia Federal, foi preso um dos principais suspeitos de mandar crianças brasileiras de maneira ilegal para os Estados Unidos. O “coiote”, nome que esse tipo de pessoa leva, foi preso na cidade de Ji-Paraná em Rondônia, desde a manhã desta quarta-feira (18).

Publicidade

A terceira fase da Operação Piratas do Caribe foi deflagrada no mesmo dia em que foi feita essa prisão. O objetivo é desmanchar a trama internacional de uma rede de pessoas ligadas a esse tipo de crime que tem como principal responsabilidade o envio de crianças e adolescentes brasileiros para os Estados Unidos de forma ilegal.

Essa ação precisou da colaboração da Bahamas e dos Estados Unidos que contou também com o apoio da Immigration and Customs Enforcemente, que é uma agência de imigração dos EUA. A operação é conduzida no Brasil pela Polícia Federal no estado de Rondônia. Estão sendo cumpridos no momento dois mandados de prisão e mais três de busca e apreensão em terras brasileiras e estrangeiras.

Publicidade

De acordo com a PF, o “coiote” participa da entrada de adultos ilegalmente acompanhados de menores de idade, para que dessa forma essas pessoas não sejam imediatamente deportadas. Como conseqüência da política adotada pelo governo de Donald Trump, essas crianças eram separadas de seus pais e mantidas em abrigos sob responsabilidade do governo.

Publicidade

Segundo informações da Polícia Federal, esse grupo já movimentou cerca de R$ 25 milhões com o envio anual de aproximadamente 150 adultos e mais 30 crianças para os Estados Unidos. Eles também são investigados pelo desaparecimento de 12 brasileiros que tentaram atravessar de barco os EUA pelas fronteiras das Bahamas. Muitas pessoas que são transportadas por eles acabam perdendo a vida no meio do caminho.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade