in

Música! Pity comete homicídio e se entrega a polícia: ‘Qualquer animal faria o mesmo’

Os bastidores da música estão em choque, a violência não escolhe endereço, escolaridade ou classe social. Pity foi detido nesta sexta-feira (13), depois de procurar a polícia e confessar que cometeu um homicídio na madrugada desta quinta-feira (12). Um caso horripilante, repleto de testemunhas que apontaram o cantor como autor do homicídio.

Publicidade

Os números da violência são alarmantes em todo o mundo, milhares de pessoas se tornam vítimas de vários tipos de crimes todos os dias, assaltos, roubos, agressões, assassinatos, estupros, crimes de ódio, racismo, homofobia, entre outros. A sociedade se tornou refém do medo e a sensação de insegurança é crescente e até mesmo os famosos estão propensos a cometer crimes.

Assassinato a sangue frio

Segundo testemunhas, a celebridade disparou contra o homem e depois fugiu em um carro e parou poucos metros para jogar a arma em um esgoto, mais de 15 pessoas já foram pela polícia e todas sem exceção afirmaram que a vítima estava desarmada.

Publicidade

O cantor de rock argentino Cristian "Pity" Álvarez, líder da banda Viejas Locas que alcançou grande sucesso no final dos anos 80, foi acusado de matar um homem identificado como Cristian Díaz, de 36 anos. O assassinato aconteceu em uma avenida movimentada do no bairro de Villa Lugano em Buenos Aires.

Publicidade

Pity estava sendo procurado pela polícia desde a manhã de quinta-feira e se apresentou a polícia, ao chegar na delegacia ele revelou para imprensa que cometeu o crime pois estava sendo ameaçado. "Fui eu quem disparou. Não venho prestar depoimento. Venho contar o que aconteceu. Matei porque era ele ou eu. Qualquer animal faria o mesmo". O cantor ainda afirmou que a vítima era um bandido, "era um cara que roubava".

Publicidade

Justiça argentina ordena prisão de músico Pity Álvarez por caso de homicídio.

Posted by Direto da Redação on Friday, July 13, 2018

Sebastián Queijeiro, advogado do músico, reconheceu que seu cliente "tem um problema grave com as drogas há 25 anos", mas garantiu que ele "não tem um perfil criminoso", nem antecedentes por roubo e assassinato. A esposa de Cristian, disse que está devastada com a tragédia, que os dois não mantinham nenhuma relação de amizade e que se conheciam de vista pois moravam no mesmo bairro.

Publicidade