in

O que toda mãe precisa saber para a amamentação dar certo? Veja aqui

Antigamente amamentar era um ato instintivo, tendo em conta que mulheres não precisavam “aprender” a entregar o peito para os filhos. Todavia as chupetas, mamadeiras bem como outras fórmulas infantis obtiveram espaço. Nos dias atuais, a ciência prova o que pessoas antigas intuíam: o leite materno é o melhor alimento para os primeiros anos de vida. Mais eficiente do que qualquer vacina, ele sozinho pode impedir 13% das mortes de crianças com menos de 5 anos.

Publicidade

A conclusão foi exposta por um estudo recém publicado em uma conceituada revista, a 'The Lancet'. Destaca-se que foi uma das mais importantes publicações realizadas no meio científico.  Consta que cientistas acreditam que o leite materno seja extremamente importante na vida de crianças.

A composição do leite altera a cada mamada seguindo as necessidades da criança, além de possuir proteínas e vitaminas, também tem anticorpos, que diminuem os riscos de acontecer infecções respiratórias, bem como diarréias, ou alergias, otites e até previnem doenças consideradas crônicas (hipertensão e diabetes).

Publicidade

Para a genitora, amamentar também traz diversas vantagens como, por exemplo, a perda de peso com maior rapidez  e menor sangramento no período pós-parto. Sem contar que pesquisas em 30 países verificaram que a ameaça de câncer de mama reduziu 4,3% a cada doze meses de amamentação.

Publicidade

Não é necessário capacitar os seios para encorajar a dar de mamar, pois naturalmente, durante o período de gravidez, o corpo fica modificado para exercer tal função, levando em conta que as mamas ficam maiores. Outra mudança é que as aréolas ficam mais escuras e resistentes em razão das ação dos hormônios.

Publicidade

Até algum período atrás, muitos médicos ou especialistas aconselhavam às grávidas que fizessem um procedimento doloroso ao esfregar buchas ou toalhas em mamilos com o objetivo de tornar a pele mais firme. Todavia a prática encontra-se em desuso, pois o fundamental é preparar a mente, predispondo-se a amamentar ainda que apareçam dificuldades.

Publicidade