in

Entenda a real importância dos padrinhos na criação e dia a dia dos afilhados

Você que começou a ler este artigo certamente tem padrinho e madrinha, independente da sua idade. Esta é uma prática comum entre os católicos (religião ainda predominante no Brasil) e a igreja incentiva o batizado da criança ainda com pouca idade.

Publicidade

Os padrinhos são considerados os segundos pais e servem como orientadores e um ombro amigo nos momentos difíceis. Por este motivo, normalmente são escolhidas pessoas que têm total confiança dos pais da criança.

Se você olhar para os seus padrinhos, vai ver que, mesmo que hoje o contato não seja tão frequente como antes, na época do batizado eles eram pessoas muito próximas aos seus pais. Alguns até escolhem irmãos ou até mesmo os avós para serem os padrinhos.

Publicidade

Quem é escolhido precisa passar por um curso na igreja local e ser maior de 16 anos. Embora o apadrinhamento seja feito na igreja, esse acompanhamento ao afilhado vai muito além das questões religiosas.

Publicidade

Os padrinhos devem ser mentores dos afilhados, orientando-os a viver e desenvolver valores cristãos, como ser generoso, gentil e justo com o próximo. Por isso, é fundamental escolher bem na hora de definir quem serão os padrinhos. Os padrinhos também costumam colaborar com os afilhados financeiramente.

Publicidade

Outras religiões

Os evangélicos não batizam os filhos da mesma forma que os católicos. Normalmente, nas igrejas evangélicas o batismo é feito quando chega a adolescência e a própria pessoa decide ser batizada. Mas também há a possibilidade de se escolher mentores para os filhos.

Aqueles que não têm religião, da mesma forma, podem escolher alguém para acompanhar os filhos. O importante é escolher bem, optar por uma pessoa responsável e que tenha relação próxima com a criança.

 

Publicidade
Publicidade