in

Bebê recém-nascido morre poucas horas depois de ser deixado em creche e mãe faz um alerta

Não ficar próximo de seu filho que acaba de nascer pode ser uma das sensações mais difíceis para as mamães sem essa experiência. Não dar proteção durante todo o tempo poderá deixar qualquer pessoa em pânico.

Publicidade

Amber Scorah teve essa triste experiência no nascimento do primeiro filho quando acabou seu período por lei que lhe dava o direito de ficar com o filho. Ela solicitou para que a empresa lhe desse mais tempo com o bebê, porém foi negado e caso ela saísse seria demitida.

Depois de fazer a contabilidade da situação que o casal estava, Amber decidiu junto com seu marido que não poderia deixar o emprego, uma vez que só ele não teria condições de pagar as contas de casa, caso ela pedisse demissão do seu trabalho.

Publicidade

Para tanto ela escolheu uma creche perto do seu trabalho e que era recomendada por muitas mães. “Pareceu um lugar amoroso e seguro para o meu filho, eu tentava me sentir um pouco melhor com uma série de justificativas”, disse a mãe durante uma entrevista.

Publicidade

Durante uma das idas à creche para dar de mamar ao pequeno, ela estranhou que a porta estava aberta uma vez que tinha muitos bebês ali. Mas ao chegar perto de seu filho ela viu Karl ditado inconsciente sobre o trocador, os seus lábios e a área ao redor da boca estavam azulados e a dona da creche tentava reanimar ele da maneira incorreta. A criança faleceu duas horas e meia depois de ter sido deixado lá por sua mãe.

Publicidade

Amber faz um alerta para que as mães precisem ficar mais tempo com os filhos para que a criança fique mais forte e saudável nesse momento da separação. Lembrando que ela vive nos Estados Unidos, onde a licença-maternidade permite que as mães fiquem em casa apenas três meses, já no Brasil esse tempo é maior, podendo variar de quatro a seis meses após o nascimento.

Publicidade
Publicidade