in

Caso Vitória: triste novidade gera novo drama à família

Nesse final de semana, o portal de notícias G1 repercutiu uma triste novidade no caso Vitória. O inquérito sobre a morte da menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, em Araçariguama (SP), tem mais de mil páginas e será analisado pelo Ministério Público em São Roque (SP). A promotora Susana Laino Sicker tem 15 dias para apresentar a denúncia contra os três suspeitos presos.

Publicidade

A Polícia Civil indiciou por homicídio doloso, quando há intenção de matar, com base nos depoimentos e provas periciais o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes – todos moradores de Mairinque.

Morte envolvendo Vitória tem novidade

A promotora afirmou à TV TEM que pretende entregar a denúncia até o fim da próxima semana.

Publicidade

O sigilo do caso segue mantido até nova análise do juiz Flávio Roberto Carvalho. Os detalhes sobre o papel de cada suspeito no crime não foram divulgados, bem como o teor dos depoimentos de quase 100 pessoas ouvidas.

Publicidade

Na terça-feira (3), a polícia informou que Vitória foi morta por engano em um acerto de contas por uma dívida de R$ 7 mil de tráfico de drogas. A motivação do crime foi relevada por uma testemunha ouvida pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Publicidade

Relembre o caso

Vitória Gabrielly desapareceu na tarde do dia 8 de junho, quando saiu para andar de patins, em Araçariguama.

A adolescente foi encontrada morta oito dias depois, em 16 de junho, em uma mata às margens de uma estrada de terra, no bairro Caxambu, em Araçariguama.

Publicidade
Publicidade
Publicidade