in

Caçadores invadem reserva ambiental e algo tenebroso acontece

Como já dizia o velho ditado 'um dia da caça e um dia do caçador', mas será que isso realmente é verdade? Por todo o mundo existem reservas ambientais onde a fauna e a flora são preservadas ou, pelo menos, acredita-se que nestes oásis a natureza estará protegida.

Publicidade

Infelizmente, algumas pessoas que não se preocupam com a preservação das espécies nativas destas reservas, e invadem estas regiões para cometer crimes ambientais como, por exemplo, caçar animais que correm risco de extinção. De acordo com o portal de notícias do jornal Extra, um grupo de caçadores invadiu uma reserva ambiental e a aventura terminou de maneira trágica; saiba mais.

Caçadores encontraram a morte em reserva ambiental

Um grupo de ao menos três caçadores ilegais foram devorados por leões ao entrarem em uma reserva na África do Sul para matar rinocerontes, contou reportagem do jornal "Mirror". Ao entrarem cladestinamente na área de preservação eles não esperavam  que dariam de cara com animais ferozes e que seriam a próxima refeição deles.

Publicidade

A reserva ambiental é conhecida como Sibuya Game Reserve. Nick Fox, de 60 anos, é o proprietário da reserva que permite a caça de forma controlada e que animais em risco de extinção como os rinocerontes que estão no espaço fiquem sob proteção. Funcionários do parque de conservação encontraram partes de corpos humanos e três pares de sapatos. 

Publicidade

Os caçadores estavam fortemente armados, usavam rifles e machados e mesmo assim não conseguiram se defender de leões famintos. Acredita-se que existem outras vítimas fatais, isso porque geralmente os caçadores andam em grupos maiores, afirmou Nick Fox.

Publicidade

 

Leões em reserva ambiental na África do Sul.

Posted by Direto da Redação on Thursday, July 5, 2018

A reserva é uma das mais populares na costa leste da África do Sul, com grande número de elefantes, rinocerontes, búfalos, leões e leopardos. Em 2016, a reserva perdeu três rinocerontes para caçadores ilegais, interessados nos chifres dos animais, bastante apreciados no mercado negro e usados na medicina tradicional chinesa por terem alta contração de cálcio e fósforo. Outros acreditam que os chifres, que são feitos de queratina, têm poderes afrodisíacos. Em 2018 nove rinocerontes já foram abatidos de forma ilegal nesta reserva.

Publicidade
Publicidade
Publicidade