in

Monstro! Polícia prende enfermeira pela morte de 17 bebês no hospital em que trabalhava

Uma mulher está sendo acusada de ter matado 17 bebês e atentado contra a vida de outros 15 recém-nascidos entre o período de junho de 2015 e junho de 2016. Um monstro de branco que andava à espreita por um hospital e matava pelo prazer de ser a mensageira da morte.

Publicidade

As mortes suspeitas começaram a ser investigadas pela polícia, a princípio acreditava-se que oito bebês teriam sido assassinados, porém, com o avanço das investigações chegou ao número alarmante de 32 vítimas; saiba mais.

O que pensar de uma profissional de saúde destinada a trabalhar em um berçário neonatal que ao invés de ministrar os cuidados necessários para garantir a vida dos bebês foi a responsável pela morte de mais de uma dezena de crianças indefesas e frágeis?

Publicidade

De acordo com o portal de notícias do jornal 'Mail Online', a mulher identificada como Lucy Letby, trabalhava como profissional de saúde no ala neonatal do Hospital da Condessa de Cheste, localizado na cidade de Cheshire, que fica no Reino Unido. A suspeita de ter matado 17 bebês foi detida nesta terça-feira (3), segundo as informações da polícia local, as investigações apontam que as mortes não foram causadas por acidente, mas ao que tudo indica que aconteceram de maneira proposital.

Publicidade

Enfermeira monstro

Segundo o inspetor Paul Hughes, responsável pelas investigações afirmou que a investigação é complexa e delicada, mas que a polícia está fazendo o possível para esclarecer os fatos de maneira rápida e eficaz, já que são muitas famílias desesperadas sem saber ao certo o que aconteceu com seus bebês. Ainda de acordo com Paul é preciso desvendar a motivação de uma barbárie como essa, além das 17 vidas ceifadas por Lucy, outras 15 crianças apresentaram lesões que foram provocadas por ela.

Publicidade

O inspetor revelou que os pais e familiares destas crianças que perderam a vida neste hospital, estão recebendo atendimento psicológico especializado e tem à disposição policiais capacitados para que possam receber todas as informações e novidades sobre este caso macabro.

Nota do hospital

Ian Harvey, o diretor médico do hospital de Countess of Chester diz que existe total colaboração com as autoridades. Entretanto o hospital da zona sul de Cheshire deixou de prestar auxílio a crianças com menos de 32 meses de vida. 

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade