in

Chiclete leva assassino à prisão 26 anos após o crime

Os mais velhos sempre dizem: "não existe crime perfeito, só mal investigados". Às vezes, os agentes de segurança fazem o possível para desvendar um ato criminoso só que nem sempre possuem as ferramentas necessárias, como por exemplo, banco de dados atualizados, interação entre as forças de segurança para dividir informações, morosidade da justiça, etc. 

Publicidade

Mas em alguns casos um pequeno detalhe pode ajudar a polícia a desvendar um crime macabro, como por exemplo, um chiclete. Para isso as forças de segurança precisam ter condições ideais de trabalho, ferramentas modernas à disposição e alto padrão de tecnologia; saiba mais.

Chiclete leva assassino para prisão após de 26 anos

Um crime hediondo com requintes de crueldade foi desvendado 26 anos depois de ser cometido, graças a ajuda de um chiclete e do empenho da polícia em solucionar um assassinato mesmo depois de tanto tempo. 

Publicidade

O estupro e assassinato da professora Christy Marick, que aconteceu poucos dias antes do Natal de 1992, na pequena cidade de Lancaster, finalmente tem um autor conhecido. A polícia do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos chegou até o DJ de casamentos e eventos, Raymond Charles Rowe, de 52 anos, usando técnicas de identificação de DNA.

Publicidade

Na ocasião do crime hediondo materiais genéticos do criminoso foram recolhidos no corpo da vítima, entre eles, o sêmen. Através de um site de genealogia, criado para que pessoas possam encontrar parentes distantes foi possível identificar o DJ.  A polícia criou um esquema especial para que ele pudesse ser capturado.

Publicidade

Festa falsa

Para prender Rowe, a polícia precisava de material genético atual, sendo assim os agentes de segurança contaram com a ajuda de uma escola da região que contratou o DJ para uma festa falsa.

Durante todo o evento ele foi monitorado pela polícia que conseguiu recolher uma garrafa de água e um chiclete que ele mascou durante a festa. Foi no chiclete que  foi encontrado o material genético suficiente para colocá-lo na cadeia. Ele foi detido na última segunda-feira (25) e aguarda seu julgamento sem direito a fiança.

Publicidade
Publicidade
Publicidade