in

Dor e ódio: Assassino de Vitória detalha cruelmente como matou menina

O resultado do exame feito a partir do material genético colhido embaixo das unhas da menina Vitória Gabrielly deu positivo para o DNA do servente de pedreiro Júlio César. Com isso, a Polícia Civil consegue provar que o rapaz esteve realmente com a menina, conforme ele já havia dito durante depoimentos à investigação.

Publicidade

O Ideal Notícia nesse final de semana repercutiu uma nova fase desse crime. Júlio César Lima Ergesse, preso pelo assassinato da menina Vitória Gabrielly, é o único que confessa ter participação no crime. A polícia acredita que Júlio não somente tenha ajudado, como também participou diretamente no assassinato da menina que desapareceu de patins rosa, no interior de São Paulo. Ele deu detalhes sobre a morte que chocou o Brasil.

Assassino confirma como matou menina dos patins rosa

O crime aconteceu na cidade de Araçariguama, no interior de São Paulo. De acordo com Júlio César, ele e o casal preso nessa semana, seriam os únicos autores da morte da criança. A polícia fez exames de DNA e encontrou material genético de Vitória Gabrielly nas mãos de Júlio.

Publicidade

De acordo com Júlio, o material de Vitória Gabrielly apareceu em suas mãos porque minutos antes de sua morte eles entraram em conflito. A menina tentou se salvar e, por isso, houve o que o delegado do caso, Acácio Leite, chamou de “contaminação”.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Homem que matou Vitória revela dívida como motivo do assassinato

Os exames feitos pela polícia também já encontraram digitais de Bruno na cena do crime. Ele e sua companheira, que estão presos, negam participação no crime. Já o pedreiro Júlio garante que foi convidado pelo casal para participar do crime, pois precisava pagar uma dívida de drogas.

Publicidade

De acordo com investigações, a menina Vitória Gabrielly teve a boca interrompida com uma meia para evitar que ela gritasse. Ela foi amarrada com os cadarços para não fugir.

Publicidade