in

Por falta de informações bebê quase morre; mãe faz um alerta sobre o perigo

Um casal Kristi Clark, 28 anos, Christopher Clark, 29 anos, jamais pensaram que uma simples viagem colocaria a vida de sua bebê em risco, depois do susto resolveram fazer um importante alerta para previnir outros pais sobre o perigo que quase destruiu sua família.

Publicidade

Eles fizeram uma viagem de 2 horas de carro com sua bebê Harper de apenas três semanas, eles á colocaram na cadeirinha de segurança e lá ela permaneceu durante toda viagem, eles achavam que estava tudo bem, que ela estaria em segurança presa á cadeirinha, não perceberam nada de diferente em sua filha durante a viagem.

Tudo estava aparentemente normal, mas quando chegaram ao seu destino, tiraram sua bebê da cadeirinha de segurança, e á deitaram em um tapetinnho, foi quando notaram que algo estava acontecendo com sua filhinha, os lábios dela estavam ficando roxos, e de repente sua boquinha se fechou e começou a soltar uma espuma branca pela boca e pelo nariz. Em desespero ao ver a filha assim, o casal pegou a pequena e foram imediatamente para o Pronto socorro.

Publicidade

“Foi assustador. Não parecia uma convulsão normal, porque ela estava arqueando as costas e jogando a cabeça para trás. Durante todo o caminho para o hospital, eu só conseguia pensar que iríamos perder nossa filha, eu não consigo nem falar sobre isso sem ficar triste”, contou Kristi em entrevista.

Publicidade

Ao chegarem no Pronto Socorro, Harper foi atendida rapidamente, os médicos pegaram a pequena fizeram os procedimentos e a ressuscitaram. 

Publicidade

“Foi alívio tão grande quando os médicos conseguiram fazer minha filha respirar de novo! Ter visto minha filha do jeito que ela estava foi a pior sensação da minha vida”, relembra Kristi.

Já passado o perigo, com estado de saúde estável, a pequena Haper precisou passar a noite no hospital em observação, fizeram uma série de exames para saber se a falta de ar teria causado algum problema mais grave. Felizmente não houve nenhuma complicação, a bebê não teve nenhuma sequela está bem e saudável.

A causa da parada respiratória

Os médicos informaram aos pais da pequena Harpe, que a causa da falta de ar foi ela ter ficado por duas horas seguidas sentada na cadeirinha. Apesar dos pais terem á colocado corretamente na cadeirinha para garantir a segurança da bebê, ela teve esta complicação, os pais não sabiam sobre o risco que corriam.

Ele ainda explicou que isso pode acontecer porque no primeiro mês de vida os recém-nascidos ainda não têm o tônus muscular necessário para firmar bem a cabecinha e em longas viagens mesmo ela estando na cadeirinha de segurança, sua cabecinha acaba indo para frente, o que acaba prejudicando a respiração e batimentos cardíacos dos bebês.

Ainda segundo os médicos que atenderam Harper, ela ficou com falta de ar na cadeirinha e quando foi deitada pelos pais no tapetinho, inspirou muito ar repentinamente, o que fez com que ela entrasse em choque e convulsionasse.

Os médicos recomendam que o bebê não fique mais de 20 minutos seguidos na cadeirinha de segurança, pelo menos  até o primeiro mês de vida.

O alerta

Kristi e seu esposo nunca tinham sido alertados sobre este risco da cadeirinha é normal que os bebês sejam colocados em cadeirinhas de segunça em qualquer passeio de carro e por isso querem que esse alerta chegue ao máximo de pessoas possível, para que ninguém venha passar o susto que eles passaram.

“Quando nos disseram que era a cadeirinha eu fiquei chocada. Eu pensei: ‘não é possível!’. Eu não podia acreditar que nunca ninguém tinha nos falado isso. Nos sentimos culpados por não saber disso, mas depois conversamos com tantos pais sobre este assunto e eles também não sabiam desse risco. Por isso, decidimos contar o que aconteceu, para informar e alertar outros pais e mães”, concluiu Kristi.

Publicidade
Publicidade