in

Biólogos revelam imagem assustadora do órgão reprodutor da cobra: ‘Meu Deus tem dois’

A píton é uma cobra grande encontrada na Austrália, na África, no sul e sudoeste da Ásia, além das ilhas do Pacífico. Elas costumam se enrolar nas presas apertando-as até morrerem. São as chamadas cobras constritoras.

Publicidade

Há cerca de 28 espécies diferentes de píton e elas costumam viver próximos da água. Ela pode chegar a ter 10 metros de comprimento, sendo considerada a cobra mais comprida do mundo, embora a maioria não passe de 2 metros de comprimento.

Geralmente, elas ficam escondidas atacando as presas de surpresa. Seguram a vitima com os dentes e vão se enrolando no corpo dela. A sua alimentação consiste em pássaros, pequenos mamíferos, répteis e anfíbios. Depois de comer ela pode ficar de duas semanas a vários meses sem comer. 

Publicidade

Elas não são venenosas e há raros relatos de ataques a seres humanos. Muitas pessoas criam a cobra como animal de estimação, com autorização de órgãos competentes como o Ibama.

Publicidade

Ela se reproduz através de ovos, como a maioria das cobras. Ela bota os ovos e se enrola ao redor deles para chocar. Depois de dois ou três meses eles se quebram e as cobrinhas saem dos ovos.

Publicidade

O que tem chocado muitas pessoas nas redes sociais é uma foto ampliada do órgão reprodutor desta cobra, divulgado por sites científicos e de estudos sobre a natureza e a biologia em geral.

A imagem mostra que o órgão reprodutor da píton tem duas cabeças, mas de acordo com os biólogos, elas só usam um durante a cópula com a fêmea, deixando o outro órgão para uma próxima oportunidade.

Publicidade