in

Saiu nova decisão judicial sobre a eleição no Vasco

Maria Cecília Pinto Gonçalves autoriza utilização de provas orais, documentais e contábeis no processo que envolve a anulação em caráter liminar da urna 7.

Publicidade

A juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou nesta segunda-feira o pedido para utilização do HD na ação do processo da urna 7 da eleição do Vasco (anulada em caráter liminar).

A alegação é de que a justiça não liberou a perícia na área civil, apenas criminal. O HD foi periciado pelo Juizado Especial do Torcedor.

Publicidade

Está aprovada, no entanto, a possibilidade de utilização de provas orais, documentais e contábeis no processo. A juíza também não aceitou o fim da ação sem que seja julgada, como era o desejo do Vasco. Outras partes foram contra, como Julio Brant, Eurico Miranda e Fernando Horta).

Publicidade

Vasco tem jogadores suspensos após confusão em jogo contra o Flamengo

A Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou em primeira instância nesta segunda-feira cinco atletas pela confusão no fim do clássico entre Vasco e Flamengo, pela sexta rodada do Brasileiro.

Publicidade

Todos foram condenados. Rhodolfo e Cuéllar receberam um jogo de suspensão, cada. Riascos – que já deixou São Januário rumo à China – e Breno receberam duas partidas de gancho. Everton Ribeiro acabou absolvido. Todos foram punidos pelo artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de ato hostil e prevê pena de um a três jogos.

Fonte: Globo Esporte

Publicidade
Publicidade