in

Promotora se pronuncia e revela se mãe é culpada na morte dos filhos Joaquim e Kauã

A promotora de Justiça Rachel Tannenbaum, que atua na 2ª Promotoria Criminal de Linhares, está à frente de todas as investigações que prenderam a pastora Juliana Salles

Publicidade

Ela fez um pronunciamento na sede da promotoria de Justiça de sua comarca que fica localizada no Bairro Três Barras, e na oportunidade ela revelou que as provas obtidas até o momento pelo Ministério Público do Estado, lhe deram a convicção de que a pastora Juliana Salles participou do assassinato dos filhos Joaquim, de 3 anos, e Kauã, de 6 anos.

Segundo relatos da promotora, a pastora teve uma conduta com características de omissão, concluindo também na última segunda-feria (18) na sua denúncia para o juiz André Bijos Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares, que a mãe dos menores participou no trágico ato por omissão.

Publicidade

De acordo com Rachel as investigações clarearam mais a situação da participação de Juliana, pois ela sabia dos risco que as crianças corriam ao ficarem sozinhas com o seu marido, uma vez que ela conhecia o desvio de caráter do pastor Georgeval Alves e que ele tinha uma relação bastante difícil com seu enteado e seu filho.

Publicidade

Durante o seu pronunciamento a promotora disse que  conseguiu junto à Justiça da Infância medidas protetivas para o outro filho do casal que tem 2 anos. Tão logo a criança chegar na cidade ela será acolhida pelo Conselho Tutelar e que junto com a Vara da Infância avaliará as condições de saúde dela e decidir com quem ficará a guarda do menor.

Publicidade

A promotora conseguir essa medida depois que acionou a Promotoria da Infância e da Juventude de Linhares. O filho mais novo do casal foi o único sobrevivente de uma trágica histórica na qual uma mãe e seu marido dão fim a vida de filho e enteado.

Publicidade
Publicidade