in

Polícia revela quem enviou mensagem dizendo que matou Vitória e desfecho é surpreendente

O caso Vitória Gabrielly ainda comove milhões de pessoas. A menina que desapareceu no dia 8 de junho e foi encontrada morta no início da tarde do último sábado (16), na cidade de Araçariguama (SP), deixou a todos perplexos, principalmente depois de que a perícia chegou à conclusão de que a garota foi duramente torturada, covardemente espancada e teve seu belo rosto totalmente desfigurado.

Publicidade

Mas por que tamanha maldade? Quem seria capaz de cometer uma barbaridade dessas com uma criança? Estas são as perguntas que a polícia tenta responder através de uma investigação minuciosa.

Novidade no caso Vitória Gabrielly nesta quinta-feira, como mostra o site da Revista Veja. A Polícia Civil de Araçariguama, no interior de São Paulo, acaba de afirmar que as ameaças feitas à mãe da menina Vitória Gabrielly, encontrada morta oito dias depois de desaparecer ao sair para brincar de patins, eram trote.

Publicidade

Segundo a delegada Bruna Madureira, responsável pelas investigações, em todos os casos de repercussão essa pessoa é envolvida. A descoberta dos trotes foi feita por meio do cadastro do número do telefone de onde partiram as ameaças.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Saiba detalhes sobre mensagens ameaçando mãe de Vitória

“O cadastro desse telefone dá um nome X. Essa pessoa X vamos chamar de Zé. Todo crime de repercussão alguém faz uma denúncia dizendo que foi o Zé, ou usam um telefone no nome de Zé, como se ele estivesse envolvido no crime. Mas não é o Zé, é sempre alguém querendo incriminar o Zé”, explicou a delegada.

Publicidade

Bruna lamentou o fato de ter de interromper as investigações sobre o crime para apurar uma ameaça que não tem relevância nenhuma. “Muito mais importante do que tudo isso é descobrir quem matou a menina e não quem está mandando essas mensagens. Isso não é relevante, mas diante de toda essa repercussão temos que parar de investigar o homicídio e explicar uma coisa que não tem nada a ver com o crime”, desabafa.

Em parte de uma conversa tornada pública, a mãe falou com o suposto assassino. “Te agradeço pelo corpo da minha filha, agora ela mora no céu, um lugar onde você nunca saberá como será”. A outra pessoa retrucou e ameaçou a mulher. “Acha que brincou, brincou com a pessoa errada. Vou acabar com você. Não tenho medo da polícia. Estava aí no velório. Ainda não sabe quem sou.” À publicação, o advogado da família Roberto Guastelli confirmou o diálogo e, segundo ele, Rosana não sabe com quem estava falando.

Enterro
Cerca de duas mil pessoas, segundo a Guarda Municipal, acompanharam, no domingo (17), o sepultamento de Vitória Gabrielly Guimarães Vaz no cemitério municipal de Araçariguama, interior de São Paulo. O corpo da menina foi encontrado no sábado (16), à margem de uma estrada rural, após ficar oito dias desaparecida. Ela saiu de casa, no último dia 8, para andar de patins, e não voltou mais.

Publicidade