in

ASSISTA! Vídeos que mostram repórteres do SporTV sendo assediados por mulheres repercutem

A Copa do Mundo da Rússia está expondo para o mundo situações constrangedoras de assédio. Nos últimos dias, o foco foram brasileiros que se envolveram na polêmica após gravarem com mulheres russas. Nesta quarta-feira (20), uma repórter colombiana, que trabalha para uma emissora alemã, foi assediada por um torcedor durante uma transmissão ao vivo.

Publicidade

No caso dos brasileiros, eles estão sendo bastante criticados na internet e podem até ter que pagar multa na Rússia, depois que uma advogada do país abriu petição online criticando a conduta. Um grupo, cujos nomes foram identificados, apareceram cantando em volta de uma russa. Eles usavam expressões de baixo calão e faziam comentários ofensivos. A mulher, sem entender nada do que estava sendo falado, repetia.

Em outro vídeo, um brasileiro que foi identificado como funcionário da Latam – e demitido pela companhia aérea, aparece pedindo para que três russas repitam a frase que ele está falando.

Publicidade

No terceiro caso envolvendo brasileiro, o homem gravou um vídeo pedindo que um russo repetisse as frases que ele estava dizendo. Entre elas estava “eu sou viado” e “eu dou para o Neymar”.

Publicidade

Os casos de assédio não são novos e nem as vítimas são mulheres. Os homens também sofrem com isso. Durante a Copa do Mundo de 2014, o repórter Filipe Cury, do SporTV, foi correspondente da emissora na Croácia, que estava no grupo do Brasil.

Publicidade

No país, ele foi assediado durante uma entrada ao vivo por duas mulheres. Uma agarrou no pescoço do repórter. “Ainda bem que não é homem”, afirmou Filipe Cury.

Durante os Jogos Olímpicos de 2016, o correspondente internacional do SporTV, Bem-Hur Correia, foi assediado por cinco mulheres também durante uma transmissão ao vivo.

 

Publicidade