in

Lula fala em desmoralização da Lava Jato e é informado sobre encontro com Moro

A absolvição da senadora e presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, criou um tipo de euforia nos petistas. A parlamentar conseguiu escapar de um difícil processo sobre acusações de ter se beneficiado com propina oriunda da corrupção da Petrobras. Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) entenderam que não há provas diretas do envolvimento dela nesse esquema criminoso. 

Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou muito feliz com a notícia e decidiu enviar uma carta à senadora. Na carta, o líder do PT afirma ter recebido a notícia com muita alegria e diz que a pressão da Lava Jato não funcionou dessa vez. 

Lula enalteceu a Suprema Corte, afirmando que os ministros souberam decidir pelo lado democrático. O discurso da Lava Jato, segundo Lula, foi desmoralizado. O condenado também criticou as delações premiadas e disse que todas as investigações acabaram se tornando uma grande mentira.

Publicidade

Encontro com Moro

A alegria do petista pode ter durado pouco. Ele agora terá um novo encontro com o juiz federal Sérgio Moro. O magistrado marcou o interrogatório de Lula na ação penal do sítio de Atibaia para o dia 11 de setembro.

Publicidade

Lula é acusado de receber propina da Odebrecht e da OAS para a reforma de um sítio localizado em Atibaia. Os procuradores afirmam que a propriedade é do ex-presidente, mas o petista nega.

Publicidade

No dia 11 de setembro, além de Lula, Moro tabém ouvirá o pecuarista José Carlos Bumlai, considerado um dos grandes amigos dele. O Ministério Público Federal (MPF) afirma que Lula recebeu mais de R$ 1 milhão em propina. Em troca disso, ele fornecia vantagens para as contrutoras em contratos com a Petrobras.

Publicidade
Publicidade