in

Crise financeira? Grêmio tomará atitudes para reverter dívida milionária

O Grêmio conta hoje com uma dívida de mais de R$ 440 milhões e estima-se que até o final do ano o clube tricolor consiga eliminar cerca de R$ 130 milhões com as vendas de Walace, Pedro Rocha e Miller Bolaños.

Publicidade

Além dessas vendas, espera-se angariar mais dinheiro também com as possíveis saídas de Jaílson para o Santos e Arthur, que está sendo negociado pelo Barcelona. Essas cinco negociações são as grandes responsáveis pela saúde financeira do clube.

“Vamos ter cumprido com o lucro previsto com a receita obtida pela venda dos jogadores. Até foi feita uma projeção de arrecadação ainda maior do que foi orçado em 2017, isso é concreto”, disse Romildo Bolzan Júnior, presidente do Grêmio.

Publicidade

O cartola disse ainda que, quanto mais se avança nas competições, mais premiações e também arrecadações o time terá. Isso corresponde a um círculo virtuoso. Para ele, isso vai melhorar o quadro social e melhorar, também, as vendas nas lojas.

Publicidade

“O Grêmio já é um clube equilibrado. Se toda a expectativa de receita for concretizada, temos o planejamento de liquidação de encargos financeiros, principalmente de dívidas bancárias. Nossa projeção é para antecipar esses pagamentos para ter melhor fluxo de caixa e chegar ao fim do ano com endividamento mínimo ou zerado”, avaliou o presidente.

Publicidade

Para finalizar a entrevista, Bolzan disse ainda que será preciso também avançar nos pagamentos de todos os acordos judiciais, que, para longo prazo, a estimativa do clube é eliminar R$ 130 milhões do total da dívida. Depois o clube terá o encaminhamento para um fluxo de caixa com bastante desoneração, com um recurso ainda maior dentro do mês.

Publicidade
Publicidade
Publicidade