in

Dois gigantes europeus brigam por destaque do São Paulo

Enquanto alguns jogadores se preparam para voltar 100% para a segunda parte do Campeonato Brasileiro, após a Copa do Mundo, outros já começam a pensar em seu futuro fora do país. Isso mesmo, a janela de transferência internacional está aberta e muitos clubes brasileiros vão sofrer com o assédio dos grandes clubes europeus.

Publicidade

O sonho dos jogadores profissionais brasileiros é conseguir uma chance de ir para Europa e estabilizar sua carreira jogando nos melhores times do mundo, mas para isso é necessário despertar o interesse desses clubes. O São Paulo terá que lidar com isso, já que dois gigantes europeus estão de olho em jogadores titulares do elenco.

O PSG, time do craque Neymar, vai dispensar muita gente após investir milhões mirando na Champions League e ver o time sendo eliminado pelo Real Madrid antes de chegar na semifinal. De olho no mercado brasileiro que sempre revela bons jogadores e com preço de mercado atrativo, os dirigentes encontraram no tricolor paulista um lateral que chamou atenção.

Publicidade

Mas a contratação desse jogador não será tão simples, até porque o Porto também quer contratar o jogador e vai brigar para ficar com o brasileiro como reforço para a próxima temporada que inicia após o Mundial.

Publicidade

Eder Militão, que se destacou no São Paulo no último Brasileirão e ainda faz boas atuações pelo clube pode ser vendido para o mercado europeu. O contrato do jogador é até janeiro de 2019 e ele já demonstrou que tem interesse em deixar o Brasil. 

Publicidade

Vale lembrar que se o São Paulo não ficar atento e fechar a negociação ainda em junho, o jogador de apenas 20 anos pode ir para qualquer clube de graça e o tricolor não ganharia nada com a transação. O time de Leco está contando com a postura ética dos clubes PSG e Porto, e não acredita que eles esperariam chegar o mês de julho para finalizar a negociação somente com o atleta.

O PSG chegou a afirmar que pagaria até R$ 17 milhões pelo atleta, já o Porto – que foi o primeiro time a sondar Militão – não falou sobre valores com a imprensa.

Publicidade
Publicidade
Publicidade