in

Irônico, presidente do Santos afirma: ‘Impeachment é moda, né?’, negando ser culpado por acusações

José Carlos Peres, o atual presidente do Santos, passa pela situação mais difícil durante sua passagem no clube nesse último semestre. O time não vem conseguindo êxito na campanha atual, fator muito preocupante para seu presidente que não tem somente isso para se preocupar, já que acusações no Conselho Deliberativo também pesam sobre ele.

Publicidade

Depois do arquivamento de um pedido de impeachment iniciado em abril desse ano, José Carlos Peres enfrenta novo pedido de impeachment protocolado na última quarta-feira, além de seus adversários estarem agilizando mais um pedido de impeachment.

José Carlos afirmou que seu "choque de gestão", afastou possíveis aproveitadores do clube e cortou alguns gastos, impactando negativamente nas pessoas ao seu redor, e que isso estaria levando-os a reclamarem de sua forma de gerir o clube e o acusarem de coisas que não cometeu.

Publicidade

Para explicar a situação que está passando, o dirigente diz que vários outros clubes do país estão enfrentando problemas e que hoje em dia: “Impeachment é moda, né?”; sendo irônico, durante entrevista concedida na última terça-feira, ao GloboEsporte.com.

Publicidade

Em sua defesa, o presidente continuou: “Eu diria para você que não há fundamento, não fiz nada com dolo, não desrespeitei o estatuto do clube. Entrei com uma gestão dura, rígida. Isso acaba deixando algumas pessoas chateadas. Quando você corta alguma coisa, quem está recebendo aquilo vai sair falando muito”.

Publicidade

O Conselho Fiscal teria suspeitado de irregularidades cometidas por José Carlos, que foram reunidas em um documento mostrando um desfalque, somente no primeiro trimestre, de pelo menos R$ 18 milhões. 

Erros no contrato de Jackson Porozo, zagueiro equatoriano, e uma sociedade irregular de Peres sobre agenciamento de atletas também são motivos que o tornam alvo das investigações.

Peres disse: “Estamos fazendo uma autocrítica. Mas não vejo nada que seja grave a ponto de que eu possa sofrer algum tipo de impedimento por causa disso”, demonstrando confiança em sua inocência.

Contudo, os conselheiros do órgão não tiveram a mesma impressão, afirmando em entrevista que não ficaram convencidos com o depoimento dele e deixando no ar que Peres só está conseguindo ficar mais distante de sua permanência no cargo da presidência do clube.

Publicidade
Publicidade