in

Marina se revolta e manda recado a Bolsonaro

Pré-candidata a presidente pela Rede Sustentabilidade, a exsenadora Marina Silva atacou o deputado Jair Bolsonaro (PSL), também précandidato ao Planalto, dizendo que não é distribuindo armas que o Brasil vai combater a violência.

Publicidade

"Alguém realmente acha que esse é o caminho?", disse, em evento para a militância no Recife. Em seu discurso, Marina também criticou o PT dizendo que o partido se perdeu em um projeto de "poder pelo poder". Marina afirmou que é a pessoa que está preparada para unir o Brasil.

"Não tenho ódio de PT, PSDB e nem PMDB". A ex-senadora afirmou que existe gente boa em todos os partidos e que há acertos por parte deles ao longo de suas histórias: o PMDB por ter sido guardião da democracia durante da ditadura, o PSDB pelo plano Real e o PT pelas conquistas sociais.

Publicidade

Apesar disso, afirmou, "a melhor coisa que a sociedade tem a fazer é dar umas férias a esses partidos, pois eles só vão trazer mais polarização. A ex-senadora afirmou ainda que não vai fazer uma campanha de desconstrução pessoal dos opositores Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL), pois apenas debaterá no campo das ideias. "Ninguém vai me ver fazendo isso. A forma como a gente ganha determina a forma como a gente governa", disse.

Publicidade

"Sofri uma grande injustiça em 2014, mas prefiro sofrer injustiça do que praticar injustiça", disse. Marina afirmou que está fazendo uma campanha "franciscana" no que se refere a gastos. Marina afirmou que, com apenas 10 segundos de tempo de TV e 1% do recursos aos partidos, trilhará um caminho difícil, mas não impossível.

Publicidade

A pré-candidata também cumpre agenda no Recife nesta quinta, quando lançará o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (Rede Sustentabilidade), para disputar o governo de Pernambuco.

Fonte: Valor Econômico

Publicidade
Publicidade
Publicidade