in

Luto: maior tenista brasileira de todos os tempos morre em São Paulo

O mundo do tênis está de luto com a notícia que abalou todo o Brasil nesta sexta-feira (8). Depois de alguns dias internada no Hospital Nove de Julho, em São Paulo, a tenista Maria Esther Bueno não resistiu ao câncer de boca e faleceu aos 78 anos.

Publicidade

Maria Esther Bueno é considerada um dos maiores ícones do esporte brasileiro em todos os tempos. Nos tempos de jogadora, ficou conhecida como "bailarina", por conta de sua elegância e estilo de jogar.

A foto que abre a reportagem é de um dos muitos encontros entre ele e outro grande tenista brasileiro, Gustavo Kuerten. Ambos são considerados os melhores tenistas brasileiros de todos os tempos, entre os homens e entre as mulheres.

Publicidade

Em 1959, 1960, 1964 e 1966, Maria Esther Bueno foi eleita a melhor tenista do mundo. Em toda a carreira, conquistou 19 títulos de Grand Slam- sete de simples e 12 em duplas.

Publicidade

Na grama de Wimbledom, Maria Esther Bueno conquistou sete troféus: em 1959, 1960 e 1964 venceu no simples. Em 1958, 1960, 1963 e 1965 venceu nas duplas. Ainda na grama, venceu o Aberto da Austrália. A tenista também foi campeã no saibro de Roland Garros e do US Open.

Publicidade

Na conquista de Wimbledon em 1959, Maria Esther Bueno teve a honra de ser recebida pelo presidente Juscelino Kubistchek. Após desembarcar no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, ela foi de helicóptero encontrar o presidente. O Rio de Janeiro era a capital do Brasil na época e a residência de JK era no Palácio das Laranjeiras.

Em 1978, o nome de Maria Esther Bueno foi incluído no Hall da Fama do Tênis. No mesmo ano, a tenista ganhou também uma estátua de cera no museu Madame Tussaud, em Londres. A brasileira foi eleita a melhor tenista do século 20 na América Latina.

Publicidade
Publicidade
Publicidade