in

Transação milionária causa polêmica no Grêmio

Uma das notícias que mais movimentou o mundo do futebol nesta quinta-feira (07) foi o anúncio da venda do atacante Douglas Costa do Bayern de Munique para a Juventus da Itália, clube que o atacante já defendia por empréstimo e exerceu o seu direito de compra do jogador. 

Publicidade

A negociação envolvendo dois gigantes do futebol mundial, acabou sendo uma boa notícia para o Grêmio. Como clube formador, o Tricolor foi beneficiado pelo mecanismo de solidariedade da FIFA  e deverá embolsar cerca de R$ 5,5 milhões.

O atacante, convocado por Tite para a Copa do Mundo na Rússia, defendeu as cores do clube gaúcho durante a base, passando por todas as categorias até ser negociado com o Shakhtar Donetsk, no começo de 2010.

Publicidade

O clube turco, aliás, também receberá seu quinhão referente à venda, já que o mecanismo leva em consideração o tempo de clube até os 23 anos (Douglas Costa desembarcou na Turquia com 20 anos).

Publicidade

Não é a primeira vez que o Grêmio lucra com uma negociação envolvendo o atacante. Em 2015, quando o Bayern adquiriu o jogador, o Imortal recebeu algo em torno de R$ 3,6 milhões. O montante repassado aos cofres do Grêmio, em ambas as oportunidades, foi de 3%.

Publicidade

A Juventus adquiriu os direitos de Douglas Costa por 40 milhões de euros, o equivalente a R$ 185,9 milhões na cotação atual. O atleta chegou em Turim em julho de 2017 e, com o contrato anunciado, está vinculado ao clube italiano até 2022. Embora tenha se destacado por suas assistências, o atacante balançou as redes pelo clube seis vezes na temporada. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade