in

Pai é acusado de matar filha bebê com golpe de foice, em Goiás

Um crime bárbaro chocou moradores da cidade de Minaçu, em Goiás, no qual Ana Julya, de 2 anos, morreu após sofrer um golpe de foice na cabeça. O principal suspeito do atentado é o próprio pai da criança, Fabiano Medeiros, de 27 anos, que trabalha como um lavrador. O homem acabou sendo preso em flagrante nesta terça-feira (29).

Publicidade

Pai é acusado de assassinar filha com golpe de foice na cabeça

Em depoimento na Polícia Civil, os parentes de Fabiano contaram que ele estava sofrendo com problemas de depressão e por conta da doença, ele permaneceu três dias trancado em seu quarto. Os pais do lavrador também contaram que foram buscar a filha de Fabiano, acreditando que a visita da criança pudesse melhorar o seu estado mental.

Em entrevista a TV Anhanguera, o delegado André Luís Barbosa Campos contou que Fabiano permaneceu em silêncio durante seu depoimento. No momento, a polícia investiga o que teria influenciado a prática do crime. Sem apresentar advogado, o suspeito foi conduzido ao presídio da cidade. De acordo com os depoimentos dos irmãos Medeiros, eles afirmaram que viram o momento em que o Fabiano estava com a foice em mãos, acreditando de que ele estivesse trabalhando.

Publicidade

Crime ainda é investigado pela polícia

Ainda de acordo com o depoimento, os irmãos não souberam responder se o irmão é usuário de drogas. De acordo com informações do inquérito policial, Ana Julya estaria distraída no chão no momento em que foi golpeada na cabeça. Ainda segundo informações, após golpear a filha, Fabiano também atentou contra a vida de sua mãe e lhe acertou um golpe de foice no ombro.

Publicidade

A polícia foi chamada, mas quando chegou ao local, avó e neta já haviam sido socorridas. A criança não resistiu aos ferimentos e chegou sem vida ao hospital, a mãe do lavrador foi medicada e liberada logo em seguida, mas continua em estado de choque com o ocorrido. O corpo de Ana Julya será velado na cidade de Porangatu. Ao saber da informação, a mãe da criança passou mal e precisou ser levada para um hospital.

Publicidade

Pena prevista para esse tipo de crime

Após ser preso em flagrante, Fabiano segue à disposição da justiça. Segundo informações da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, a cada dia são registrados em torno de 200 casos de maus tratos praticados contra crianças e adolescentes.

Em 2015, a comissão Parlamentar do Congresso Nacional, aprovou um projeto que torna mais rígidas as penas de quem comete crimes contra crianças e adolescentes. A lei estabelece a prisão de dois meses a um ano em casos de lesão corporal envolvendo ferimentos, fraturas, mordidas, queimaduras, hemorragias, escoriações, traumatismos, lacerações, arranhões, entre outros.

Nos casos de lesão corporal grave, a pena determina a reclusão de um a quatro anos. Em casos de morte, a pena aumenta de quatro para 12 anos de reclusão

Fontes: Tribuna da Tarde, BN Brasil. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade